Igrejas da TV exploram cada dia mais a boa fé das pessoas

As igrejas que loteiam os diversos espaços das emissoras de rádio e televisão podem ser acusadas de tudo e mais um pouco, menos de falta de criatividade. A cada dia uma moda diferente é inventada para tomar dinheiros dos desavisados. É quase um exercício de superação.
Na RedeTV!, num momento chamado "Agente dos Pastores", é vendido por R$ 35 "um saquinho de sabão em pó milagroso, que limpa que nem Jesus".
Em meio a isso, cada um vai dando seu recado, como o de uma mulher que pede aos fiéis para irem a sua igreja ver os "vários milagre" e receber "benças". Finalizando, com chave de ouro, outro recomenda que ninguém entre na "igreja errada para não perder a bênção milagrosa" que a sua oferece.
Concorrência forte ao Valdemiro Santiago, já em liquidação com a "rosa ungida, tijolinho da obra e o lenço poderoso".

É triste verificar a imensa quantidade de pessoas enganadas na sua boa-fé, dando o que muitas vezes não têm, na espera de uma resposta do céu. 
Interessante
A televisão comum, como uma espada na cabeça, é submetida a algo chamado "classificação indicativa", que para todas as suas produções aponta o que pode e o que não pode ser exibido neste ou naquele horário.
Só que esses programas de igreja, que cometem verdadeiras barbaridades até contra a vida de homens, mulheres e crianças, continuam com "bandeira livre".
Caso de perguntar
Abusar da boa-fé de milhões de pessoas ou usar essas igrejas como ponto de comércio, para vender sabão, toalha, lenço ou outra qualquer mercadoria do gênero, isso pode?
Tem, pelo menos, algum imposto incidindo em cima?
Ninguém é tonto
Todos sabemos os cuidados que a classe política observa ao tocar em assuntos relativos à igreja, seja ela de que bandeira for.
Ainda mais em um ano eleitoral como é o caso do agora em curso. Os candidatos da vez, como já estamos começando a ver, se submetem a tudo, até a banho com o "sabão milagroso", em troca de voto. Pouca vergonha.
Ela que manda
O poder da Universal na CNT é de ampla e total dominação. Se, por exemplo, um programa está indo bem de audiência em determinado horário e a igreja vê potencial naquela faixa, ela vai lá e pega. Simples assim.
Os donos, felizes com o dinheiro que entra, simplesmente dizem "amém". Em tempo, a informação é que a IURD renovou com a CNT até 2019.


Uol